Páginas

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Emerson Fittipaldi, sinônimo de Talento


ARACNO Talentos mostra um pouco da história de Emerson Fittipaldi

O que o sobrenome Fittipaldi representa em corridas, também é sinônimo de simpatia e humildade. O ARACNO Talentos não podia deixar de homenagear esse grande homem, e muito menos deixar de falar na família Fittipaldi. Talento é pouco pra essa família.
Segundo filho do casal Wilson e Juzy Fittipaldi, Emerson é casado com Rossana Fanucchi Fittipaldi, com quem tem os filhos Emerson e Vittoria. O ex-piloto também é pai de Jason, Tatiana, Joana e Luca. É tio de Christian Fittipaldi, que também é piloto.

Emerson Fittipaldi é um dos mais vitoriosos automobilistas e foi o primeiro brasileiro a se tornar campeão mundial de Fórmula 1. Emerson abriu portas para os outros brasileiros também em outras categorias de ponta no automobilismo internacional. Foi bicampeão da Fórmula 1 em 1972 e 1974, campeão de Fórmula Indy em 1989 e bicampeão das 500 milhas de Indianápolis em 1989 e 1993. Atualmente, trabalha como diretor da equipe A1 Team Brasil, que representa o país na A1GP. Fittipaldi também dublou um carro na animação Carros 2.

Emerson Fittipaldi começou sua carreira internacional em 1969, na Inglaterra, aos 22 anos de idade, disputou e sagrou-se campeão da Fórmula 3 inglesa. Seu talento foi notado por Colin Chapman, proprietário da equipe Lotus de Fórmula 1, que o contratou no ano seguinte para correr pela sua equipe.

Fórmula 1
A corrida de estréia na Fórmula 1 foi no Grande Prêmio da Inglaterra, em Brands Hatch, onde terminou a prova em oitavo. Três semanas depois, em Hockenhein, marcou seus primeiros pontos, com um quarto lugar. No final daquele ano, em Monza, seu companheiro de equipe, o austríaco Jochen Rindt, que liderava o campeonato, faleceu num acidente. A Lotus, de luto, retirou-se por duas corridas e voltou no penúltimo GP da temporada, em Watkins Glen. Nesse dia, Emerson venceu sua primeira corrida e, ao mesmo tempo, impossibilitou seus adversários de alcançar a pontuação de Rindt, que assim sagrou-se campeão mundial depois de sua morte.

O ano de 1971 não viu vitórias de Emerson, embora sua atuação consistente lhe tenha garantido três pódios. Em 1972, com 5 vitórias, Fittipaldi tornou-se o campeão mundial mais jovem da história da Fórmula 1, com 24 anos, oito meses e 29 dias, recorde que manteve por mais de três décadas e que só foi quebrado em 2005, pelo piloto espanhol Fernando Alonso.

Em 1973, Emerson venceu mais 3 corridas, no entanto perdeu o título para o escocês Jackie Stewart. O sucesso contribuiu fortemente para a entrada do Grande Prêmio do Brasil no calendário internacional no ano seguinte, no circuito de Interlagos. Ele mesmo venceu a corrida inaugural.

Em 1974, o piloto brasileiro trocou a Lotus pela McLaren, e, com 3 vitórias (uma delas no Brasil), sagrou-se bicampeão do mundo. Ainda competitivo, venceu mais duas corridas pela mesma equipe no ano seguinte.

Copersucar Fittipaldi
Em 1975, fundou, em parceria com o irmão, a equipe Fittipaldi, equipe inteiramente brasileira e que contava com o apoio da empresa estatal Coopersucar, nome pelo qual a equipe se tornou mais conhecida entre os brasileiros. O primeiro ano em sua própria equipe (1976) foi frustrante, com constantes abandonos.

Em 1977, Emerson conquistou alguns resultados razoáveis, como três quartos lugares, mas foi em 1978 que ocorreu o grande momento de Emerson em sua própria equipe, ao terminar o Grande Prêmio do Brasil no circuito de Jacarepaguá em segundo lugar.

A partir de então houve um declínio técnico na equipe, e, ao final de 1980, no mesmo circuito de Watkins Glen onde vencera sua primeira prova, Emerson Fittipaldi retirou-se da Fórmula 1 como piloto. Em 1982, após seu piloto Chico Serra marcar um ponto no Grande Prêmio da Bélgica, sua equipe fechou as portas.

Anos depois Emerson iria para os Estados Unidos, onde venceu a F-Indy em 1989, sendo campeão das 500 milhas de Indianápolis em duas ocasiões.
Com isso Emerson Fittipaldi é o único piloto da história do automobilismo a ter vencido duas vezes o campeonato mundial de pilotos da Fórmula 1 e uma vez a temporada da Fórmula Indy norte-americana. Ao longo de quase 30 anos nas pistas, Emerson colecionou 36 vitórias e 18 poles nas duas categorias, tendo vencido duas vezes as 500 Milhas de Indianápolis, a mais tradicional prova do automobilismo americano, e duas vezes o Grande Prêmio Brasil de F1. Pontuou em todos os campeonatos que disputou nas duas categorias e venceu em todas as temporadas da F-Indy entre 1985 e 1995. Emerson fez sua última corrida pela F1 correndo pela Fittipaldi/Ford no GP dos EUA de 1980, em Watkins Glens, o mesmo circuito onde conquistara sua primeira vitória, dez anos antes, pela Lotus/Ford. Sua última vitória na F1 foi no GP da Inglaterra, em 1975, a mesma prova em que estreara na categoria cinco anos antes, só que em circuitos diferentes. O GP Marlboro 500, em Michigan, onde Emerson sofreu o acidente que encerrou sua carreira na Indy foi o mesmo onde ele conquistara sua primeira vitória na categoria, em 1985.

Mais Emerson Fittipaldi:


Emerson e Rossana


Monza,  Ômega e Kawasaki Fittipaldi


PILOTOON Fittipaldi 1978




Equipe A1 Team Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais Talento